Ghosnet: espionagem na Internet 101

do Público de hoje:

Uma rede de espionagem informática localizada sobretudo na China conseguiu infiltrar-se em 1295 computadores de ministérios, embaixadas e outras organizações de 103 países, (...) segundo um relatório de investigadores da Universidade de Toronto. Portugal também está na lista de países afectados, através do Centro de Gestão da Rede Informática do Governo (Ceger) e das embaixadas de Portugal na Finlândia e na Alemanha.

Não é ainda clara a dimensão do ataque levado a cabo a partir de três servidores em províncias chinesas e um na Califórnia, Estados Unidos, segundo o relatório Tracking Ghostnet: Investigating a Cyber Espionage Network do Centro de Estudos Internacionais Munk da Universidade de Toronto, no Canadá.

(...)

"Acredita-se que a espionagem na Internet está muito activa", adianta Paulo Veríssimo, professor do Departamento de Informática da Faculdade de Ciências de Lisboa. "Não é uma surpresa que se consiga penetrar em redes governamentais."
Há cerca de seis anos, Paulo Veríssimo acompanhou um estudo sobre o sistema informático do Ceger. "Concluímos que a rede estava bastante segura", explica. "Mas não chega uma boa firewall e antivírus. Estes sistemas necessitam de soluções tecnológicas avançadas, porque temos de ter um sistema que está ao nível da segurança dos aviões e não dos automóveis".
Para Paulo Veríssimo, "os Estados estão a encarar de forma ligeira o facto de, através de um sistema informático, podermos aceder e manipular informação".