Ataques à Sony, 2ª parte

Afinal os ataques à Sony de há tempos levaram muito mais do que se imaginava:

Foram roubados cerca de 50 mil ficheiros
Hackers roubam catálogo de músicas de Michael Jackson à Sony
Público, 05.03.2012 - 14:43 Por Cláudia Carvalho

O catálogo discográfico de Michael Jackson, que inclui todos os álbuns e trabalhos do músico, entre eles músicas inéditas, foi roubado por hackers à editora Sony Music. Segundo o The Sunday Times, o roubo aconteceu já em Abril do ano passado mas só agora foi dado a conhecer.

Dos computadores da Sony, os piratas informáticos roubaram cerca de 50 mil ficheiros de música, não sendo Michael Jackson a única vítima do roubo. Do catálogo da Sony fazem parte nomes de artistas como Leonard Cohen, Paul Simon ou Foo Fighters, podendo também sido afectados.

Ao The Sunday Times, que avança a notícia, a editora não quis comentar o caso nem dizer quais os artistas implicados, limitando-se a confirmar apenas o incidente, que só foi descoberto semanas mais tarde, depois de alguns ficheiros terem começado a circular na Internet.

Desde Março de 2010 que todo o catálogo discográfico de Michael Jackson passou para as mãos da Sony Music, depois de a família do músico ter assinado um contrato de 200 milhões de dólares (cerca de 151 milhões de euros) com a editora. Com este contrato, a família Jackson cedeu à Sony todos os trabalhos do “Rei da Pop”, que incluíam material nunca antes editado de “Off the Wall”, “Thriller” e “Bad”, e ainda colaborações inéditas de Michael Jackson com Black Eyed Peas e Freddie Mercury, por exemplo. O acordo aconteceu meses depois da morte do cantor, em Junho de 2009.

O roubo terá acontecido na mesma altura em que a Sony foi alvo de um dos maiores ciberataques da história, com os dados pessoais das contas de 77 milhões de utilizadores de pessoas expostos, num primeiro ataque, e os de outros 25 milhões de pessoas, numa segunda fase. A editora demorou semanas a resolver esta falha de segurança.

Na altura, a Sony explicou que alguém não autorizado teve acesso ilegalmente aos seus sistemas informáticos, tendo mesmo sido obrigada a fechar temporariamente o PSN, que permite aos utilizadores jogar online e alugar filmes. Depois disso, a empresa garantiu que os seus serviços estavam “mais seguros do que nunca”.

O caso está a ser investigado pelas autoridades britânicas, que já fizeram duas detenções. Dois homens foram apresentados ao tribunal de Leicester acusados de estarem relacionados com o ataque informático. Segundo o “The Guardian”, os dois negaram as acusações e foram libertados sob fiança, tendo o julgamento sido marcado apenas para Janeiro de 2013.